Dicas de Saúde

Pediatra deve acompanhar o crescimento e o desenvolvimento das crianças

Segundo a pediatra Cristiane Pagliarini, a função do profissional vai além do tratamento de doenças, sendo, principalmente, a de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento da criança. Para isso, o ideal é que as consultas sejam mais longas que as de outras especialidades médicas.

Nelas, comenta a médica graduada pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), os pais devem tirar suas dúvidas sobre a alimentação, a educação e o sono da criança, além de ser orientados sobre a prevenção de acidentes e doenças.

O recomendado, contudo, é que a primeira ocorra antes mesmo do nascimento. Nessa oportunidade, descreve Cristiane, o pediatra checa os exames de pré-natal e garante o máximo de tempo de gestação para que o bebê nasça o mais maduro possível. O profissional, ainda, orienta os pais sobre os cuidados do pós-parto e sobre aleitamento materno.

Entre o quinto e o sétimo dia de vida, a criança deve ser reavaliada, para que o médico analise seu ganho de peso, a ocorrência ou não de icterícia, e a cicatrização do umbigo, entre outros fatores.

Durante o primeiro ano, a criança deve ser consultada mensalmente, para que seu peso e seu desenvolvimento neuropsicomotor sejam avaliados. Além disso, o pediatra orienta os pais sobre as mudanças na alimentação infantil e observa distúrbios na fala.

Posteriormente, as consultas passam a ser trimestrais. Dos dois aos seis anos, são semestrais. Após, devem ser anuais.

É importante, salienta Cristiane, que a criança vá ao pediatra mesmo que não esteja doente.

Avaliação Neuropsicológica auxilia no diagnóstico de alterações cerebrais

As alterações cerebrais, que podem decorrer de lesão adquirida ou ser congênitas, ocorrem em varias áreas do órgão e impactam diferentes capacidades, como explica a psicóloga que atende no Hospital Notre Dame São Sebastião, Mônica Gonçalves. Para diagnosticá-las, prossegue a profissional, são realizados diferentes exames e procedimentos multidisciplinares, como a Avaliação Neuropsicológica – um conjunto de atividades que incluem, por exemplo, aplicação de testes, observações clínicas e jogos.

Fonoaudiologia Hospitalar é fundamental para a boa evolução do quadro clínico de pacientes

Quem atua com a voz e a audição conhece e reconhece a importância do acompanhamento de fonoaudiólogo. Afinal, para locutores, repórteres, professores e vendedores, ele pode significar qualidade de vida e, até mesmo, sucesso profissional.

O que poucos sabem, segundo a fonoaudióloga do Hospital Notre Dame Sçao Sebastião, Débora Santos, é que a atuação do graduado em Fonoaudiologia pode ir bem além de habilitar e reabilitar a voz, a audição e a motricidade oral ou de tratar dificuldades da aprendizagem.

No ambiente hospitalar, sua presença também é essencial. Em unidade de atendimento a recém-nascidos, por exemplo, o profissional exerce o papel de auxiliar os bebês que têm dificuldades para mamar, além de realizar massagens extra-orais e estímulos intra-orais em prematuros.

Já, em áreas especializadas em traumas, especialmente os neurológicos, o tratamento orientado por fonoaudiólogo é determinante para sua recuperação. Em casos de Disfagia – condição também verificada em pacientes com tumores de garganta e de boca e em idosos ou pacientes com doença de base, como Parkinson, que se caracteriza pela dificuldade ou pela incapacidade de engolir e que pode ter como agravantes a desidratação e a desnutrição -, a intervenção precoce e o acompanhamento do profissional visam minimizar seu desenvolvimento. Afinal, o fonoaudiólogo atua para evitar que a Disfagia evolua para uma pneumonia broncoaspirativa.

A importância da assistência pediátrica no nascimento

Segundo o pediatra Miguel Angelo de Almeida Saurin, recém-nascidos cujas mães realizaram corretamente o pré-natal, com acompanhamentos mensais e um número mínimo de sete consultas desde o primeiro trimestre de gestação, dificilmente apresentarão alguma complicação em seu parto e em seus primeiros momentos de vida autônoma – afinal, ao nascer, a criança passa de uma situação de dependência para uma na qual viver depende exclusivamente dela e dos recursos do seu meio.

Mesmo assim, o médico que integra o corpo clínico do Hospital Notre Dame São Sebastião enfatiza que o recém-nascido deve ser avaliado imediatamente após seu nascimento, seja pelos escores clínicos – que levam em conta parâmetros de aparência, cardíacos, musculares, neurológicos e respiratórios – ou pela análise da Idade Gestacional. É desse modo, explica Miguel, que opediatra pode definir, com precisão, a evolução do recém-nascido, prevendo possíveis alterações transitórias e tratáveis, além de detectar possíveis anormalidades, estabelecendo o seu tratamento.

Alimentação no inverno

É natural que, durante o inverno, o apetite, assim como a tendência de ingerir alimentos mais calóricos, aumente. Afinal, como explica a nutricionista do Hospital Notre Dame São Sebastião, Irmã Salete Bordin, com as baixas temperaturas, o organismo gasta mais calorias para manter a temperatura corporal. Por isso, é importante não descuidar da alimentação e praticar atividades físicas.

Além disso, é recomendável consumir frutas cítricas – como abacaxi, laranja, limão, morango e tangerina -, pois elas fortalecem o Sistema Imunológico, protegendo o organismo de gripes e resfriados. Manter o corpo hidratado também é importante, apesar de não se observar a perda de líquidos pelo suor.

Neuropsicologia e aprendizagem

Segundo a psicóloga do Hospital Notre Dame São Sebastião, Mônica Gonçalves, é através do cérebro que somos capazes de aprender ou de modificar comportamentos, à medida que vivemos. Afinal, os processos de atenção, capacidade de julgamento ou pensamento são frutos do funcionamento cerebral.

Desenvolvido durante a infância e a adolescência, as trocas com o ambiente externo são importantes para a estimulação do órgão, pois é por meio delas que se aprende – um elemento intrínseco à condição humana que se dá a todo momento, porém, é intensificado nos primeiros anos de vida, quando a plasticidade cerebral é maior. Por isso, é na infância que alguns transtornos de aprendizagem, como a Dislexia e a Hiperatividade, são percebidos.

Nessa fase, a avaliação neuropsicológica auxilia no seu entendimento e conhecimento, além de identificar forças e fraquezas que devem ser trabalhadas em reabilitação cognitiva e psicoterapia, aliadas a estratégias adotadas nos ambientes escolar e familiar.

Benefícios da Nutrição Clínica Funcional

A Nutrição Clínica Funcional é, de acordo com o nutricionista do Hospital Notre Dame São Sebastião, Gabriel Gomes, uma maneira dinâmica de abordar, prevenir e tratar desordens crônicas e complexas, através da detecção e da correção dos desequilíbrios capazes de gerar doenças.

Ela se diferencia da Nutrição Tradicional por debruçar-se sobre a individualidade bioquímica e sobre os efeitos dos alimentos no organismo de cada pessoa. Desse modo, pretende orientar o paciente a adotar uma dieta anti-inflamatória adequada ao seu biotipo – o que colabora com a melhora da sua composição corporal e do funcionamento de todos os seu sistemas. Afinal, quando há inflamações, há dificuldade em perder peso, o intestino não funciona corretamente e o colesterol é aumentado, cita o nutricionista.

A Nutrição Clínica Funcional baseia-se em cinco princípios:
– Individualidade bioquímica
– Tratamento centrado no paciente
– Inter-relações com fatores fisiológicos
– Saúde com vitalidade positiva
– Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes

 

 

Diagnóstico precoce de Hepatites evita complicações

As Hepatites dos tipos B e C, se não forem diagnosticadas precocemente e tratadas ou controladas, podem causar a danificação do fígado – conhecida como cirrose – e outras complicações, como o Câncer de Fígado e a Insuficiência Hepática.

Entre os exames capazes de identificá-las, estão os sanguíneos – realizados nos Laboratórios de Análises Clínicas da Rede de Hospitais Notre Dame.

Alimentação equilibrada é capaz de fortalecer o Sistema imunológico

Instituído com o intuito de reiterar à população brasileira a importância da vacinação, como meio de prevenir a infecção por doenças virais, o Dia Nacional da Imunização – celebrado em 09 de junho – recorda que, além das vacinas, existem outras formas de manter a eficiência do Sistema Imunológico.

Com a função de proteger o organismo, as células desse Sistema devem estar fortalecidas com nutrientes adequados, para que sejam capazes de defendê-lo contra possíveis ataques de bactérias, fungos e vírus, além de auxiliá-lo a combater patologias. Por isso, uma alimentação equilibrada é fundamental.

Confira as orientações do nutricionista da Rede de Hospitais Notre Dame, Gabriel Gomes, sobre quais nutrientes são essenciais e onde podem ser encontrados: 

Vitamina C: antioxidante e capaz promover resistência a infecções respiratórias e gripes, está presente nas frutas cítricas – como a acerola, a bergamota, a laranja, o limão, o morango e tomate – e nos vegetais verde-escuro
– Ácido Fólico: necessário à formação das células de defesa, é encontrado nos vegetais verde-escuro – como agrião, brócolis e couve – e em leguminosas – como ervilha, feijão e lentilha
– Vitamina E: antioxidante e capaz de melhorar a resposta imunológica, está presente no abacate, nas amêndoas, castanhas e nozes, na gema do ovo, nos grãos e nos óleos
– Carotenoides: ativam o sistema imunológico e são encontrados em vegetais e frutas amarelo-alaranjados – como a abóbora, a cenoura, o damasco e a manga – e em vegetais verde-escuro – como o brócolis e a couve -, além das frutas vermelhas
– Zinco: melhora a resposta imunológica e está presente em carnes, cereais integrais, leguminosas e ostras
– Selênio: antioxidante encontrado nas oleaginosas – como amêndoas, castanhas e nozes -, nos cereais integrais e nos frutos do mar
– Probióticos: conhecidos como as “bactérias boas” para a saúde do intestino, eles fortalecem o sistema de defesa e estão presentes em iogurtes naturais e leites fermentado
– Gordura Poliinsaturada: capaz de melhorar a resposta imunológica, este anti-inflamatório é encontrado em peixes de água fria – arenque, atum, salmão e sardinha – e em sementes de linhaça

Teste do Pezinho pode diagnosticar precocemente doenças congênitas

Pela análise de amostra de sangue capilar do recém-nascido, um grande número de doenças congênitas, como a fenilcetonúria, o hipotireoidismo congênito, a fibrose cística, a anemia falciforme, a hiperplasia adrenal congênita e a deficiência de biotinidas, pode ser identificado. Conhecido como Teste do Pezinho, pois pode ser realizado a partir de material coletado do calcanhar da criança, o exame deve ser feito entre o terceiro e o trigésimo dia de vida.

É com o intuito de conscientizar acerca da sua importância para que se impeça o desenvolvimento de doenças que, se não tratadas, podem levar à deficiência intelectual, além de causar outros prejuízos à qualidade de vida das crianças, que o Ministério da Saúde instituiu, em 2001, 6 de junho como o Dia Nacional do Teste do Pezinho. 

O Hospital Notre Dame São Sebastião, em parceria com o Laboratório Hermes Pardini, realiza o Teste do Pezinho em oito modalidades, capazes de identificar de quatro a 18 doenças. Cada um dos testes também pode ser solicitado isoladamente ou compondo perfil individualizado.